InícioAppgateDepartamento de Defesa dos Estados Unidos aposta na estratégia Zero Trust

Departamento de Defesa dos Estados Unidos aposta na estratégia Zero Trust

Published on


Os Estados Unidos são um dos países que mais investem em cibersegurança no mundo e, desde a Ordem Executiva emitida pela Casa Branca em 2021, as agências federais do país, como o Departamento de Defesa (DoD), estão adotando a arquitetura Zero Trust para proteger suas redes. Para avançar nesta jornada, a entidade norte-americana apostou na solução de Acesso de Rede Zero Trust (ZTNA) da Appgate.

 

Alguns dos desafios envolviam a necessidade de modernização das capacidades de segurança e suporte aos usuários com acesso às infraestruturas híbridas. Era preciso proteger todo ambiente mantendo a conformidade com a capacidade de escalabilidade sob demanda, além de ampliar os controles relacionados às equipes de desenvolvimento e de TI.

 

Marcos Tabajara, Country Manager Brasil da Appgate, comenta que a tecnologia foi usada para acelerar a aderência do órgão ao conceito Zero Trust. “Foi um processo de implementação 100% automatizado com o objetivo de garantir acesso seguro do usuário até a aplicação”, destaca o executivo durante webinar que apresentou o Estudo de Caso do Departamento de Defesa.

 

O objetivo do DoD é apostar em uma abordagem de segurança cibernética que visa proteger os dados e os sistemas de ameaças internas e externas, assumindo que nenhum usuário, dispositivo ou rede é confiável por padrão. A ideia é melhorar a postura de defesa cibernética e apoiar as missões de segurança nacional.

 

No final de 2022, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos reforçou a estratégia de adoção do Zero Trust não só pelo próprio órgão, mas para as demais instituições públicas norte-americanas. Implementar esse conceito significa para o DoD a disseminação da cultura de confiança zero por todos os departamentos, com a missão de proteger ambientes e sistemas de informação com níveis elevados de ciberdefesa.

 

A tecnologia implementada está pautada no atual cenário de complexidade das invasões cibernéticas e torna a infraestrutura do DoD invisível para o invasor. Para testar se o ambiente estava com uma segurança sólida na parte de acessos, o time da Appgate, em parceria com os profissionais do órgão, realizou uma série de testes de penetração em nível estado-nação. Assim, foi possível validar o ambiente e garantir que a tecnologia fosse implementada sem comprometer o recurso computacional da instituição.

 

Como benefícios, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos assegurou capacidades de segurança de redes implementadas e modelo de política dinâmica com APIs vinculadas ao DevOps. Além disso, garantiu a implantação segura com escalonamento automatizado e 100% dos servidores em ambiente Zero Trust protegidos com Appgate.



Fonte

Latest articles

Afrânio: Distrito de Cachoeira do Roberto já vive expectativas para Festa do Divino

Todos os anos, no Dia de Pentecostes, a comunidade católica da vila de...

Prefeito de Garanhuns é orientado a exonerar filho de secretário que atua como professor

Com base no princípio legal do respeito à impessoalidade na administração pública e...

54% das empresas nacionais enfrentaram violações de segurança cibernética em 2023

A ManageEngine anunciou, na manhã desta terça-feira (23), em São Paulo, os resultados...

Exposição gratuita sobre temas ligados à Psicologia vai ser realizada em Petrolina

No sábado (27) vai ser realizada uma exposição com os temas “Neuroanatomia e...

More like this

Afrânio: Distrito de Cachoeira do Roberto já vive expectativas para Festa do Divino

Todos os anos, no Dia de Pentecostes, a comunidade católica da vila de...

Prefeito de Garanhuns é orientado a exonerar filho de secretário que atua como professor

Com base no princípio legal do respeito à impessoalidade na administração pública e...

54% das empresas nacionais enfrentaram violações de segurança cibernética em 2023

A ManageEngine anunciou, na manhã desta terça-feira (23), em São Paulo, os resultados...